Movimento sindical busca implementar Comitê de discussão sobre o futuro da indústria em Canoas

Na tarde desta quinta-feira (02), uma reunião junto à Prefeitura Municipal de Canoas tratou das possibilidades de construir um espaço de discussão sobre políticas industriais e o futuro da indústria no município de Canoas. A iniciativa é de lideranças do movimento sindical de trabalhadores da região e já conta com outras tratativas semelhantes no Estado.

 

 

O grupo que levou a proposta ao Prefeito Jairo Jorge foi integrado pelo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Canoas e Nova Santa Rita, Paulo Chitolina; o presidente do Sindicato dos Petroleiros do RS, Fernando Maia da Costa; o Secretário de Política Sindical da CUT-RS, Claudir Nespolo; e o Secretário Geral da Confederação Nacional dos Metalúrgicos, Loricardo Oliveira. No encontro também esteve presente a secretária municipal de desenvolvimento econômico, turismo e inovação, Simone Sabin.

 

 

As discussões sobre a criação do comitê tiveram início em março deste ano, momento em que a ideia foi apresentada ao Poder Público. Assim, o segundo encontro tratou de levantar nomes e entidades que podem agregar às discussões, tais como sindicatos de trabalhadores, sindicatos patronais, federações, confederações e instituições de ensino.

 

 

Nespolo destacou no encontro que a proposta do grupo busca a coesão social, a partir da integração dos atores da indústria. “Indústria não é só o industrial. É a mão de obra também, porque a força de trabalho é essencial neste processo. E nós queremos trazer os trabalhadores para dentro dessa discussão“.

 

 

 

Entre os temas destacados na conversa, os sindicalistas pontuaram a preocupação com políticas de formação para os trabalhadores, em especial os jovens. “Nós acompanhamos um levantamento realizado pelo observatório do trabalho do La Salle que aponta a realidade dos jovens na indústria. É preciso discutir formação e emprego para a geração“, destacou Chitolina.

 

 

O prefeito retomou o compromisso de propor a criação do comitê a partir de um convite oficial da Prefeitura às outras entidades. Também, destacou a importância de discutir o futuro da indústria frente o processo acelerado de desindustrialização no país. “O setor da indústria em Canoas tem um peso importante sobre a economia e a geração de empregos, e nós sabemos que o processo de desindustrialização pode impactar o município“.

 

 

 

Neste sentido, a primeira estratégia proposta é incluir o comitê na proposta do Congresso da Cidade, previsto para ocorrer em 2022. “Seria interessante trazer temas e seminários sobre a indústria, talvez pesquisadores e especialistas que possam nos falar sobre experiências e perspectivas em outros lugares“, destacou Jairo Jorge.

 

 

Como encaminhamento, o grupo prevê a implementação – por meio de decreto municipal – do comitê, se possível, ainda no mês de dezembro.

 

 

Fonte: STIMMMEC

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!