Escrito por

Assessoria Sindimetal

#Destaques | 03/05/2022

Os diretores sindicais se reuniram ontem, segunda-feira (02), para dar continuidade nas discussões da Campanha Salarial 2022. Com a pauta de reivindicações já aprovada e encaminhada à patronal, o momento é de planejar os próximos passos a serem seguidos. 

 

Para isso, um panorama das empresas foi traçado, com a ajuda de todos os diretores e vivências que eles possuem dentro das fábricas. Após ouvir os relatos das realidades de cada empresa e as expectativas dos trabalhadores e trabalhadoras metalúrgicos para a negociação desse ano, foi possível planejar os próximos passos da campanha. “Nossa Campanha Salarial tem o objetivo de garantir a atualização dos direitos dos trabalhadores/as, por isso é muito importante que continuemos conversando com eles e entendendo as necessidades que eles apontam”, reforçou o presidente do Sindicato Paulo Chitolina. 

 

As assessoras jurídicas do Sindicato, as advogadas Lídia Woida e Fernanda Livi, do escritório Woida, Magnago, Skrebsky, Colla & Advogados Associados, também participaram da reunião, tratando principalmente de questões da legislação em que o sindicato pode abrir discussões e possibilidades de representação. O tema dos trabalhadores terceirizados e temporários continuou em pauta e foi discutido com as advogadas, recebendo importante contribuição dos diretores sindicais presentes, que trouxeram questões enfrentadas no dia a dia das fábricas.

 

Agora o Sindicato espera um retorno da patronal, sobre as pautas enviadas, para que as conversas e discussões sejam feitas. Relembre quais as pautas aprovadas para a Campanha Salarial de 2022 na última edição do A Vez da Voz, pelo link https://bit.ly/38LBMGI 

Fontes:

Publicado em:03/05/2022

Voltar

Notícias Relacionadas

Imagem da notícia

#Notícias | 25/07/2018

‘Austeridade’ de Temer sucateia o SUS e privilegia planos privados de saúde

A política neoliberal do governo Temer tem afetado e sucateado o Sistema Único de Saúde (SUS). Para especialistas, a Emenda Constitucional 95, que congela os investimentos públicos por 20 anos, somada à privatização de serviços essenciais, resultam em menos assi...

Ler mais
Imagem da notícia

#Notícias | 05/07/2017

‘Não há nenhuma possibilidade de a reforma trabalhista diminuir o desemprego’

O Centro de Estudos Sindicais e de Economia da Unicamp (Cesit) lançou na última segunda-feira (3) um dossiêem que avalia a proposta de reforma trabalhista do ilegítimo Michel Temer (PMDB).     Segundo o documento, o Projeto de Lei da Câmara (PLC 38/201...

Ler mais