Rotatividade reduz ganhos da categoria na base

O Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em levantamento recente sobre o mercado de trabalho metalúrgico, apontou as ligações existentes entre a redução de salários na base de Canoas e Nova Santa Rita e o movimento de rotatividade realizado pelas empresas. Segundo o estudo, entre janeiro e dezembro de 2017, houve uma diminuição de 384 postos de trabalho metalúrgicos na categoria. Tal redução é resultado da admissão de 1.890 trabalhadores em contrapartida às 2.274 demissões realizadas que, por si só, representam 37% do total do estoque trabalhadores no ano anterior (2016).

 

 
A exemplo do que ocorre no total do setor metalúrgico, o mecanismo de rotatividade foi utilizado para rebaixar a remuneração dos trabalhadores. Ainda em 2017, a remuneração média dos admitidos totalizou R$2.055,29, que corresponde a apenas 84,7% da remuneração dos trabalhadores desligados, que variava em R$2.427,97.

 

 
Em 2018, mesmo com o crescimento do número de vagas, a diferença salarial entre admitidos e desligados superou a do ano anterior. Foram admitidos 402 trabalhadores(as) metalúrgicos com remunerações médias de R$2.043,63 correspondente a apenas 78,4% da remuneração média dos 300 trabalhadores desligados. Utilizando o mecanismo de rotatividade, no total do período de janeiro de 2017 a fevereiro de 2018, as empresas reduziram a massa salarial paga aos trabalhadores em R$1.537.990,00.

 

 

rotatividade

Fonte: Dieese

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Visit Us On FacebookVisit Us On Youtube