Retrospectiva 2017: diálogo e resistência junto à categoria marcam ano do Sindicato

MARÇO

 1 LANÇAMENTO DO COMITÊ

Sindicatos, Movimentos Sociais e Populares e lideranças políticas de Canoas lançam o Comitê Sindical Popular Contra a Reforma da Previdência e em Defesa dos Direitos Trabalhistas. O primeiro ato da frente unificada, que foi responsável por inúmeras mobilizações e campanhas no decorrer do ano, ocorreu no dia 3 de março, no Calçadão de Canoas.

 

DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÕES

O Dia abriu o calendário de mobilizações contra as reformas Trabalhista e da Previdência. Convocada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), a data contou com assembleias na porta das principais empresas de Canoas e NSRita (Midea Carrier, General Electric, Maxiforja e AGCO), com atraso na pegada. O Comitê Sindical Popular foi responsável pela marcha que reuniu mais de duas mil pessoas e que percorreu as principais vias da cidade até a sede do INSS, onde foi realizado um ato.

 

2

 

3 CAMPANHA SALARIAL 2017

Os primeiros movimentos da campanha salarial ocorreram no mês de março, quando a direção discutiu uma pauta de reivindicações e convocou a Assembleia Geral de Trabalhadores para avaliar. Aprovada no dia 29 de março, a pauta reivindicou a reposição salarial com base nas perdas inflacionárias e deu ênfase à luta contra a retirada de direitos. Após a aprovação, as reivindicações foram encaminhadas à patronal para dar início às negociações.

 

 

ABRIL

 

GREVE GERAL

Campanhas e convocatórias consolidaram a primeira grande Greve Geral do ano. A mobilização, que entrou para a história da classe trabalhadora, fez cerca de 40 milhões de trabalhadores e trabalhadoras cruzaram os braços. Em Canoas e NSRita, a paralisação afetou o transporte público, comércio, indústria, brancos e a rede de ensino público estadual.

 

 

4

 

MAIO

 

5 DEBATES DE CONSCIENTIZAÇÃO

Além das mobilizações e paralisações, o Sindicato realizou uma série de encontros com os trabalhadores/as para debater as reformas em curso. Com ajuda dos advogados que prestam assessoria jurídica à entidade, os diretores sindicais puderam esclarecer dúvidas e obter informações aprofundadas para prestar apoio à categoria no chão de fábrica.

 

 

OCUPA BRASÍLIA

Diversas categorias unificaram a luta e realizaram a maior ocupação da classe trabalhadora. O Ocupa Brasília mobilizou mais de 150 mil trabalhadores de todos os cantos do país. Simultaneamente, o Comitê Sindical Popular organizou uma vigília no Calçadão de Canoas e entregou materiais informativos sobre as reformas.

 

 6

 

JUNHO

7 ELEIÇÕES NO SINDICATO

Teve início o processo de eleição no Sindicato. No início do mês, associados/as definiram a comissão organizadora do pleito e o calendário de votação, que ficou fixado nos dias 19 e 20 de julho. No prazo de 10 dias corridos, estipulado pelo estatuto do Sindicato, para a inscrição de chapas de oposição, não ocorreu procura.

 

 

CAMPANHA SALARIAL – ASSEMBLEIA DE APROVAÇÃO

Com o avanço da campanha salarial, o Sindicato convocou no início do mês uma Assembleia Geral para apresentar a proposta estabelecida nas negociações. Esta, aprovada pelos trabalhadores no dia 8 de junho, foi composta por um reajuste de 4% – retroativo a maio -, renovação das cláusulas sociais da CCT até 2019 e ainda a elevação do valor do teto da categoria. Os trabalhadores da Reparação de Veículos também aprovaram em Assembleia o fechamento da Campanha, que garantiu a reposição das perdas inflacionárias e a permanência da antecipação salarial no mês de novembro.

 

 8

 

9 PATRONAL E A REFORMA

Frente à ofensiva da categoria contra as reformas, com destaque para a trabalhista, o Sindicato Patronal de Canoas divulgou um documento para todas as empresas da base apoiando as mudanças na legislação. Prontamente, o Sindicato dos trabalhadores desmentiu, ponto a ponto, o documento patronal (Edição 342 do jornal A Vez e a Voz do Peão) e reforçou que as medidas impostas pelo governo se tratavam de um retrocesso.

 

 

 

JULHO

 

PLENÁRIAS DE DEBATES

No mês de julho foram intensos os encontros para construir uma ofensiva contra as reformas. O Comitê Sindical Popular organizou uma grande plenária para debater  o momento político e tirar ações.

 

 25393943_1657492694315647_1968564167_n

 

 25395271_1657493407648909_1230702377_n CHAPA CUTISTA É REELEITA

Com 93,28% dos votos válidos a chapa de situação foi reeleita para o próximo quadriênio do Sindicato. O mandato da nova direção teve início em 1° de setembro e  se encerra em 31 de agosto de 2021.

 

 

 

AGOSTO

REFORÇO NA SINDICALIZAÇÃO

Tendo em vista o objetivo de enfraquecer o movimento sindical, o Sindicato dos Metalúrgicos de Canoas e NSRita deu início a uma intensa campanha de sindicalização, focada na necessidade de união e conscientização dos/as trabalhadores/as, além da valorização de conquistas importantes da categoria, como a Convenção Coletiva de Trabalho.

 

 25359666_1657497114315205_866637235_n

 

11 DEBATES PELO ESTADO

Promovidos pela Federação dos Metalúrgicos do RS, inúmeros debates sobre a Reforma Trabalhista foram realizados junto aos sindicatos metalúrgicos cutistas do Estado. Em Canoas, duas rodadas do projeto foram realizadas, nos dias 9 e 30 de agosto.

 

 

SETEMBRO

CAMPANHA PELA ANULAÇÃO DA REFORMA

Teve início em todo o país a campanha de coleta de assinaturas pela anulação da Lei 13. 467/17 (Reforma Trabalhista). Em Canoas, dirigentes sindicais trabalharam os formulários nas fábricas e o Comitê Sindical Popular

 

 12

 

 25323841_1657494397648810_1305171445_n 4ª JORNADA ESPORTIVA

A 4ª Jornada Esportiva dos Metalúrgicos, tradicional competição de futsal da categoria contou com a participação de 10 equipes. A Biometal se consagrou a grande campeã do ano.

 

 

 

 

OUTUBRO

CAMPANHA DE SINDICALIZAÇÃO E BRINDE

A campanha anual de sindicalização foi lançada com um forte apelo à história do Sindicato e à luta na defesa dos direitos e da dignidade da classe trabalhadora. Além do tradicional brinde aos associados – que será entregue a partir de março de 2018 – o Sindicato enfatizou um importante instrumento da categoria frente às mudanças na legislação: A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

 

 14

 

16 DEBATE JUNTO AO MPT

Em conjunto com a Federação dos Metalúrgicos e os assessores jurídicos do movimento sindical, o Sindicato esteve reunido com procuradores do Ministério Público do Trabalho (MPT) com o objetivo de possibilitar parcerias entre os órgãos na resistência à lei 13.467/17. Na ocasião, os procuradores mostraram preocupação frente o retrocesso que a reforma apresenta.

 

 

SINDICATO NA CÂMARA DOS VEREADORES

Para debater os impactos da reforma trabalhista no município de Canoas, o Sindicato foi à Tribuna da Câmara de Vereadores no dia 31 de outubro e abordou o tema junto aos parlamentares. Na ocasião, o presidente Paulo Chitolina representou a entidade e o Comitê Sindical Popular.

 

 15

 

 

NOVEMBRO

17 ENTREGA DAS ASSINATURAS

O Comitê Sindical Popular reuniu-se com o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, na sede dos metalúrgicos de Canoas para realizar a entrega das assinaturas coletadas pela anulação da Reforma Trabalhista. Na ocasião, Nespolo destacou a unificação da luta no município como forma de exemplo ao Estado.

 

 

 

FESTA DE POSSE

Atuando oficialmente desde o dia 1° de setembro, a nova direção do Sindicato realizou a festa de posse no dia 25 de novembro. Na ocasião, além da solenidade com a presença de lideranças políticas e sindicais, a noite seguiu com um grande baile do Chopp animado pela banda Audio Mix.

 

 18.2

 

DEZEMBRO

19.1 A temporada 2017/2018 da Colônia de Férias dos Metalúrgicos teve início com uma Assembleia Geral, realizada no dia 25 de novembro. Na data, foi aprovada a prestação de contas, o calendário de semanas e o dia das inscrições, que ocorreram em 8 de dezembro. O espaço de veraneio da categoria recebeu inúmeras melhorias nos últimos anos para garantir bem estar e segurança aos associados/as.

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Visit Us On FacebookVisit Us On Youtube