PT lança pré-candidatura de Lula em Porto Alegre: ‘Pode e será o nosso candidato’

Mulheres se manifestam durante ato de lançamento da pré-candidatura de Lula a Presidência da República, no Parque da Redenção. | Foto: Guilherme Santos/Sul21

 

Centenas de militantes e apoiadores do Partido dos Trabalhadores compareceram ao Parque da Redenção, em Porto Alegre, na manhã deste domingo (27) para um ato de pré-lançamento da candidatura do ex-presidente Lula à Presidência da República. De acordo com lideranças do partido, o objetivo da ação, que precede um evento nacional de lançamento da candidatura marcado para o próximo dia 9 de junho, em Belo Horizonte (MG), é demarcar que Lula poderá sim participar da corrida eleitoral mesmo estando atualmente preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

 

Com diversas lideranças do partido presentes, a mobilização para o ato começou por volta das 10h, mas as falas começaram apenas às 11h, se estendendo até por volta das 12h30. Ex-ministro nos governos Lula e Dilma e atual pré-candidato ao governo do Estado, Miguel Rossetto foi o último a falar no evento. Em conversa com a reportagem, ele avaliou que a candidatura do ex-presidente só tende a crescer porque ele seria a única liderança com credibilidade junto ao povo brasileiro para estabilizar o país e recolocá-lo na rota da democracia e do desenvolvimento. “A percepção é crescente no povo brasileiro de que a crise política, econômica e social profunda que o golpe jogou o país só é superada pela retomada da soberania popular”, disse. “Por isso vai crescer muito a força da candidatura do Lula”.

 

Presidente estadual do PT, o deputado federal Pepe Vargas, explicou que o ato faz parte de uma orientação da Executiva do partido para que todos os diretórios municipais realizassem atividades relacionadas ao lançamento da pré-candidatura de Lula com o intuito de dar visibilidade à população de que o ex-presidente poderá sim concorrer nas eleições de outubro. “É uma forma da gente mostrar para a população brasileira que o Lula pode ser candidato e será o nosso candidato, porque há uma tentativa de certos setores de dizerem que a candidatura dele não é permitida, quando é, porque não tem uma decisão em trânsito em julgado e ele poderá entrar com uma ação cautelar para garantir o seu direito”, disse.

 

Pepe destaca que, nas eleições de 2014, mais de 140 candidatos que tinham contra si condenações em segunda instância e conseguiram concorrer graças a medidas cautelares. “Boa parde deles ganhou eleições”, afirmou.

 

Vereador de Porto Alegre, Marcelo Sgarbossa (PT), fala com o público no ato na Redenção | Foto: Guilherme Santos/Sul21

 

O deputado reforça que o objetivo do partido é também promover o debate de que não há provas contra o Lula e que ele foi condenado com base em “convicções” do Ministério Público Federal e do juiz Sérgio Moro. “Esse debate que a gente vem travando já permite que uma parcela expressiva da população já compreenda que o Lula é vítima de uma perseguição política. Precisamos fazer agora um novo debate de que ele pode ser candidato, de que tem os seus direitos políticos preservados”, disse.

 

Segundo a pesquisa de maio do Barômetro Político Estadão-Ipsos divulgada na última sexta-feira (25), 45% dos entrevistados aprova a atuação política do ex-presidente Lula. O índice é o melhor entre todos os 20 nomes apresentados. A avaliação foi feita com base na pergunta “Aprova ou desaprova a maneira como vêm atuando no País?”.

 

As pesquisas de intenções de voto para presidência também tem, consistentemente, apontado Lula na liderança da corrida eleitoral. No início de maio, o levantamento do instituto MDA para a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) mostrou que ele tinha 32,4% da preferência do eleitor brasileiro em um cenário de primeiro turno.

 

Rossetto também acredita que seja crescente a percepção entre a população de que o processo que condenou Lula em segunda instância não demonstra consistência. “A verdade é filha do tempo, não da autoridade”, afirmou.

 

No próximo dia 9, o PT realiza em Belo Horizonte um ato nacional de lançamento da pré-candidatura de Lula à presidência. Segundo Rossetto, o objetivo é demonstra que não há plano B. “Hoje, essa é a posição forte e unificadora do PT com o povo brasileiro”, disse.

 

Miguel Rossetto (dir.) acompanha fala da deputada Maria do Rosário (Centro) | Foto: Guilherme Santos/Sul21

 

Outras fotografias:

 

 

Texto: Luís Eduardo Gomes – Sul 21

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Visit Us On FacebookVisit Us On Youtube