Pesquisa realizada pelo Sindicato aponta ampla rejeição da categoria à Reforma da Previdência

 

Durante o mês de maio, o Sindicato dos Metalúrgicos de Canoas e Nova Santa Rita realizou pesquisa para traçar o perfil da categoria na base. Ao todo, mais de 900 trabalhadores(as) participaram, respondendo perguntas sobre sua atuação na categoria, o conhecimento sobre a estrutura, os benefícios e as ações do Sindicato, assim como uma posição sobre a atual proposta de Reforma da Previdência.

 

Mais da metade dos participantes (52,1%) disseram ter conhecimento sobre a Reforma da Previdência, ainda que 7,2% tenha apontado não ter pleno domínio sobre o tema. O restante (40,6%) afirmou não entender o projeto que traz mudanças profundas no sistema previdenciário do País.

 

 

No entanto, 81,1% dos trabalhadores(as), com entendimento pleno ou não sobre o tema, estão de acordo que o Sindicato realize mobilizações contra a aprovação da Reforma, o que demonstra a ampla rejeição da categoria frente às mudanças propostas pelo atual governo.

 

 

Também, a maioria (58,3%) disse ter disposição para participar das Campanhas Salariais na porta das fábricas. O último dado está ilustrado no gráfico abaixo.

 

 

Perfil: veteranos e contratos via CLT são maioria

 

O levantamento também apontou que grande parte da categoria é composta por trabalhadores(as) veteranos, ou seja, atuam há bastante tempo na empresa. Destes, 36,8% atuam há mais de 10 anos na base e outros 27,5% há mais de 5 anos.

 

 

Nas modalidades de contrato, as contratações via CLT são maioria, representando 93,6% do total. No entanto, a categoria também apresenta contratações via terceirização (2,8%), temporários (2,5%) e intermitentes (1%).

 

 

Perfil socioeconômico: salário só é suficiente para alimentação

 

Quando questionados sobre rendimentos e qualidade de vida, a categoria explicitou a necessidade de valorização dos salários. Para 54% dos participantes, os ganhos não são suficientes para o sustento da família. 71,8% não recebem o suficiente para pagar um curso de formação, 58,2% afirmam que não sobra dinheiro para o lazer e 78,7% disseram não conseguir organizar uma poupança com o atual rendimento. Apenas quando questionados sobre alimentação é que a maioria (75,5%) afirmou receber o suficiente.

 

 

Direitos e benefícios: reconhecimento da CCT e da estrutura do Sindicato

 

O levantamento também apresentou questões sobre a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que é consolidada via negociações diretas entre representantes dos trabalhadores e das empresas, ou seja, não existe sem a atuação sindical. Ao todo, 86,9% dos participantes acredita que os acordos previstos na CCT são importantes ou muito importantes, afirmando neste aspecto grande reconhecimento da categoria pelas negociações garantidas pelo Sindicato.

 

 

Das 64 cláusulas presentes na Convenção, a categoria considerou o Reajuste Salarial como item mais importante (86,8%), seguido do Auxílio-educação (37,1%), do Piso da Categoria (32,6%), do Quinquênio (30,8%), da Estabilidade Pré Aposentadoria (26%) e da Homologação no Sindicato (20,2%).

 

Da estrutura oferecida pelo Sindicato, mais da metade dos participantes, entre sócios e não associados, afirmou que utiliza os espaços com frequência (51,8%). Dentre os mais citados está o ambulatório médico e odontológico, a Colônia de Férias e a Assessoria Jurídica. Ainda, foram citados o ginásio de esportes, o salão de festas e o atendimento da sede.

 

Comunicação

 

Do total de participantes, 59,3% disseram ser associados ao Sindicato. No entanto, entre associados e não associados, 80,9% dos trabalhadores(as) afirmaram que gostariam de receber informações, convites e outros materiais do Sindicato. Dentre os canais mais votados está o WhatsApp (46,9%), os informativos na porta das fábricas (44,8%) e a Newsletter / E-mail (12,3%). No total, o levantamento do Sindicato angariou 493 contatos novos para as ações de comunicação.

 

 

Fonte: Rita Garrido – STIMMMEC

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Visit Us On FacebookVisit Us On Youtube