Pela honra do Grêmio, torcedores repudiam presente dado a Bolsonaro

 

Jair Bolsonaro vestiu a décima camiseta de um time de futebol brasileiro. Na última ocasião, a torcida agraciada foi a do Grêmio quando o general gaúcho Edson Pujol, comandante do Exército Brasileiro, entregou a peça ao político na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, no Rio de Janeiro. As imagens, que circularam nas redes sociais, não foram bem recebidas pelos gremistas.

 

Os integrantes da Grêmio Antifascista se posicionaram através de uma carta aberta direcionada à presidência e ao conselho deliberativo do clube, onde afirma estarem profundamente decepcionados, pois a iniciativa colocou o clube a serviço dos delírios populistas de Bolsonaro. O texto segue informando que o grupo se questionou sobre as razões que o clube se honraria com seu maior signo aquele que tanto despreza e ameaça a cultura e as classes populares e que nunca nada fez pelo Grêmio e pela nossa gente.

 

“A nossa apaixonada torcida é composta por trabalhadores e trabalhadoras que perdem direitos em decorrência das reformas da previdência e das leis trabalhistas promovidas por Bolsonaro. Ela é composta também por estudantes, que têm as suas vidas diretamente impactadas pelos sucessivos cortes nas verbas da educação que sufocam a pesquisa e ameaçam fechar as universidades públicas. Sonhamos com um Grêmio diverso e inclusivo no qual todas e todos tenham lugar; um Grêmio que honre a sua história; um Grêmio, portanto, que não compactue com o fascismo”

 

Ao final do vídeo, após vestir a camiseta do Grêmio, Bolsonaro agradece o envio supostamente feito pelo presidente do clube gaúcho. Procurada, a assessoria de imprensa do Grêmio disse que não falaria sobre o assunto e indicou que fosse procurado o general Pujol. Em contato com a assessoria de imprensa do Exército Brasileiro fomos informados que o presente foi uma iniciativa do próprio comandante e não se trata de um presente oficial do Grêmio.

 

Vale lembrar que Bolsonaro já vestiu a camiseta de clubes como Flamengo, Botafogo, Fluminense, Vasco, Santos, Internacional, Sport e Sampaio Corrêa, além do Palmeiras, quando usou uma peça que não era oficial e virou piada na internet. Durante o período eleitoral, as torcidas organizadas Gaviões da Fiel e Jovem, do Corinthians e do Santos, respectivamente, se manifestaram contra o então candidato Jair Bolsonaro. O comunicado rechaçava qualquer intenção de voto no candidato que classificaram de “antidemocrático”.

 

Fonte: Carla Castro – Mídia Ninja

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Visit Us On FacebookVisit Us On Youtube