Em meio à pandemia, Sindicato mantém papel social de auxílio à categoria sem descuidar do orçamento

Fachada5

 

 

 

O ano de 2020 foi marcado por muitos desafios para a ação e a gestão do Sindicato. Isso porque a pandemia da COVID-19 exigiu a tomada de uma série de decisões e adequações imediatas com relação à prestação dos serviços, os atendimentos e todo o auxílio que tradicionalmente é realizado pela entidade, isso sem deixar de lado o compromisso com a saúde dos associados/as em meio à maior crise sanitária do país. Desta forma, conforme divulgação realizada anualmente, o Sindicato apresenta nesta edição do Informativo A Vez e a Voz a sua Prestação de Contas 2020, como forma de mostrar à categoria com transparência as receitas e investimentos da entidade no exercício do último ano.

 

 

 

Cabe destacar inicialmente que o ano de 2019 foi encerrado com superávit, diferente de 2020 que, conforme o demonstrativo das receitas e investimentos, encerrou com registro de um pequeno déficit. Este movimento no orçamento da entidade ocorreu por conta do deslocamento dos meses em que são repassados os valores da Taxa Negocial ao Sindicato. Geralmente, o repasse ocorre entre o período de Agosto e Dezembro. No entanto, devido ao adiamento das negociações da Campanha Salarial 2020/2021, que resultou no fechamento de um acordo somente no mês de setembro, o repasse da taxa teve início em outubro e se encerrou em fevereiro deste ano. Portanto, os dois meses faltantes de 2020 irão integrar a prestação de contas do exercício de 2021.

 

 

Estrutura de atendimento aos associados: nossa sede social

 

 

 

O atendimento prestado na estrutura do Sindicato foi mantido sempre em acordo com os Decretos Municipais e Estaduais que exigiam, e ainda exigem, o distanciamento social, o que significa que foram necessárias adequações na prestação dos serviços oferecidos na sede. Sem deixar de atender a categoria, foram realizados plantões onde os diretores estiveram diariamente à disposição de todos os trabalhadores e trabalhadoras da base, prestando auxílio e trabalhando em negociações e acordos para preservar os empregos e a renda. Também, foram mantidos os atendimentos essenciais na área administrativa, tais como homologações, novas associações e acerto de mensalidades. Neste cenário, se verifica uma redução nas despesas relacionadas ao setor administrativo, conforme o demonstrativo.

 

 

Assistência aos associados: atendimento na saúde foi afetado pela pandemia

 

 

No que diz respeito aos benefícios e à assistência prevista aos associados/as, o Sindicato trabalhou mês a mês acompanhando a situação da pandemia no município e, nos momentos de agravamento do sistema público de saúde, optou por breves suspensões no atendimento odontológico e pela realização do atendimento dos médicos clínicos e do trabalho via telefone, com marcação de consultas presenciais após avaliação médica e encaminhamento de atestados e exames sempre que solicitados. Desta forma ficou garantida, dentro das possibilidades e da exigência de distanciamento social, a assistência à saúde.

 

 

 

A assessoria jurídica também intercalou o ano entre atendimentos presenciais e remotos, de acordo com as exigências sanitárias. Os escritórios que assessoram o Sindicato se organizaram e disponibilizaram durante todo o período canais de contato para garantir auxílio jurídico e esclarecimentos.

 

 

Comunicação: plataformas digitais garantiram o diálogo com a categoria

 

 

 

Nos últimos anos o Sindicato vem investindo em comunicação nas plataformas digitais, para garantir com maior celeridade o diálogo e a interação com a categoria. Em meio à pandemia, estas ferramentas foram fundamentais para divulgar os informes e atender os trabalhadores. A Rede de Trabalhadores no whatsapp, canal lançado em 2019 pela entidade, foi a principal plataforma de comunicação, pois por meio desta foram encaminhados jornais e informes semanais sobre a situação do Sindicato e da categoria. Também, foi por meio desta que a entidade realizou as votações de acordos coletivos e aplicou consultas sobre temas específicos, como o trabalho em Home Office. Hoje, já são mais de mil e quinhentos metalúrgicos em contato direto com a entidade, via listas de transmissão, além das demais plataformas de comunicação (Facebook e Instagram).

 

 

 

Outro investimento da entidade foi na plataforma Google Meet, onde foi possível realizar Assembleias Gerais e reuniões específicas por empresa, bem como manter o contato constante com os diretores de fábrica. Desta forma, o Sindicato conseguiu estar próximo da categoria, otimizando a prestação de auxílio aos trabalhadores.

 

 

 

Veraneio seguro e garantido na Colônia de Férias

 

 

 

Na última temporada de veraneio na Colônia de Férias, o Sindicato reforçou a atenção para o espaço, com o objetivo de garantir segurança à saúde dos associados/as veranistas. Para tanto, modificou o formato das inscrições para as peças, aderindo ao sorteio. Isso porque, em acordo com o decreto municipal do litoral, foi necessário reduzir a capacidade de ocupação. Junto a isso, a entidade organizou uma série de medidas preventivas para o local, por meio de um protocolo de regras que foi entregue aos veranistas. No documento, constavam orientações quanto ao distanciamento social, o uso obrigatório de máscaras e de álcool gel nos espaços coletivos. Desta forma, foi possível garantir um veraneio seguro aos associados e suas famílias.

 

 

 

Também, em atenção às dificuldades econômicas que muitos trabalhadores enfrentam por conta da pandemia – redução de salários e até perda de empregos -, o Sindicato optou por não realizar reajuste nos valores de estadia da Colônia de Férias. Assim, foram mantidas todas as regras e valores da temporada de 2019/2020.

 

 

É preciso consciência política para resistir

 

 

 

O presidente do Sindicato, Paulo Chitolina, reforça junto à categoria a necessidade de refletir sobre o momento de crise política e econômica da sociedade, agravada pela atual pandemia, mas que teve início ainda com duas grandes reformas: a Trabalhista e a da Previdência. “O que acompanhamos hoje é um aceleramento no processo de precarização da classe trabalhadora. Houve uma retirada de direitos e garantias que nunca gerou mais empregos. Hoje, temos mais de 14 milhões de desempregados. Agora, assistimos o empobrecimento das massas, pela falta de um programa naciona de vacinação e por estarmos com o sistema de seguridade social enfraquecido. Resistir a este momento significa compreender a importância da atuação dos sindicatos na organização dos trabalhadores e fortalecer as pautas de luta”.

 

 

Confira a íntegra do demonstrativo da PRESTAÇÃO DE CONTAS aqui.

 

 

Fonte: STIMMMEC

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Visit Us On FacebookVisit Us On Youtube