CNM/CUT reitera nota da CUT de repúdio “Estupro culposo não existe”

A CNM/CUT reitera a nota da CUT, que por meio de sua Secretaria de Mulheres, vem a público repudiar a ação da justiça de Santa Catarina no caso do estupro de Mariana Ferrer.

 

 

O Brasil tem se tornado em um dos piores países para mulheres e meninas. A cada 11  minutos uma mulher sofre estupro, 30% das vítimas são menores de 13 anos de idade.

 

 

Realidade essa reforçada por instituições que deveriam combater a violência e proteger as vítimas.

 

 

Exemplo disso é a vergonhosa decisão da Justiça de Santa Catarina que por meio do Juiz Rudson Marcos e do promotor Thiago Cariço, ao julgar o caso de estupro de Mariana Ferrer optam por não cumprir a Lei e punir o estuprador, numa tentativa de  tornar a vítima em ré.

 

 

As ações para inibição da vítima durante o processo, por meio do advogado Claudio Gastão, deixa claro como as vítimas de violência são tratadas pela sociedade machista e patriarcal,  representada por homens brancos, ricos que culpam  as mulheres e meninas, por suas atrocidades, exemplo do empresário, André de Camargo Aranha.

 

 

Até  quando ficaremos gritando por justiça ? Até quando a mulher vitima de violência será julgada por seus algozes? Porque não são julgados os estupradores mas sim as vítimas? Até quando seremos vítimas de homens brancos e ricos que usam do dinheiro pra perpetuar suas violências e injustiças? Até quando seremos vítimas da impunidade?

 

 

A CUT repudia mais essa injustiça e exige que a Justiça seja feita em toda a sua plenitude, com a punição  nos rigores da Lei, do estuprador André de Camargo Aranha, bem como a reparação da injustiça cometida  contra Mariana Ferrer.

 

 

Estupro culposo não existe!!!

 

 

Justiça para Mariana e todas as mulheres e meninas!!!

 

 

*Nota da CUT publicada no site da Central

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Visit Us On FacebookVisit Us On Youtube